A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas

Atualizado: 11 de out. de 2021

Nova animação é lançamento de sucesso na Netflix!


Avaliação: 5/5⭐⭐⭐⭐⭐


Resumo:


A animação, produzida pela Sony Pictures Animation, apresenta a história da família de Katie Mitchell, uma adolescente que possui suas paixões pela sétima arte e é aceita na faculdade de cinema. Com seus sonhos incompreendidos pelo pai, Katie e sua família embarcam numa viagem de carro até a faculdade, mas um imprevisto os tira do trajeto inicial: uma revolução dos robôs contra a humanidade! A inteligência artificial se voltou contra os humanos, e sobrou apenas a peculiar família Mitchell para salvar o mundo.


Opinião pessoal (Contém Spoiler!):


Na sociedade atual, é muito comum pensar que num futuro próximo, a tecnologia possa criar vontade própria e se revoltar contra nós, seus usuários. Loucura ou previsão? Não sabemos. Mas mesclar nossa relação com tecnologia x relações familiares numa animação cheia de vida, comédia e reflexões foi uma ótima ideia e o público se mostra satisfeito.

Tem vários pontos que eu gostaria de abordar para demonstrar meu entusiasmo.


A primeira coisa que eu amei ver no filme foi o efeito que o advento da internet tem nas nossas relações, principalmente dentro de casa. Uma cena icônica da animação é o momento de refeição em que todos, exceto o pai, que não é tão ligado em tecnologia, estão imersos no universo tecnológico e esquecem que existem pessoas ao seu redor. Então, o pai pede para que todos se esforçem para fazer alguns segundos de contato visual, e eles realmente o fizeram, com certa resistência. Para mim, a cena é icônica porque lida com humor algo que é recorrente nos dias atuais, onde esquecemos de dar importância às pessoas que estão ao nosso redor e prejudicamos a comunicação e sociabilidade.



Além disso, temos a vilã da animação, o celular de inteligência artificial que acredita não ter motivos para livrar a humanidade da prisão, já que a tecnologia fornece inúmeras informações e conhecimento, mas a utilizamos, maior parte das vezes, para coisas fúteis e sem um retorno relevante. Isso também reflete a sociedade atual, pois costumamos utilizar a internet apenas para acessar redes sociais e publicar uma vida que muitas vezes não existe, exibindo uma mascara social. Um bom exemplo para essa temática é a mãe da protagonista, Linda Mitchell, que durante a longa, compara sua família à de seus vizinhos, a "família perfeita", e tenta diversas vezes capturar momentos com sua família que não condizem com a verdade que vivem.


O longa possui como eixos centrais a revolta das máquinas inteligentes e a relação de filha incompreendida e pai superprotetor. Agregado à isso, a mãe, o filho e o cachorro também são personagens que somam na história e, como resultado, uma animação digna de toda repercussão que está recebendo. Indico o filme para famílias que, assim como os não tão ficcionais Mitchells, possuem seus problemas mas se amam acima de tudo. O filme promete uma comédia leve que conquista jovens e adultos.






12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo